Notícias

Passagens aéreas para municípios de São Paulo de Olivença é mais cara do que ir Para Miami, nos Estados Unidos



Passagens aéreas para municípios de São Paulo de Olivença, Lábrea, Coari, Tabatinga, Tefé e outros são mais caras que para Miami, nos EUA Pesquisa feita pelo portal acritica.com revela que as passagens para Santa Izabel do Rio Negro (ida e
volta saindo de Manaus) são 179% mais caras do que as que podem ser adquiridas para Miami.

Passagens aéreas de ida e volta para o município de Santa Izabel do Rio Negro, partindo de Manaus (AM), podem ser até 179% mais caras do que para Miami, nos Estados Unidos. O valor é ainda 59,6% superior aos voos para Paris, na França e 65,5% acima do que é pago se o objetivo for visitar Londres, na Inglaterra. Os voos para o interior do Amazonas são uma exclusividade da empresa Trip Linhas Aéreas.

Pesquisa feita nesta terça-feira (18/09) pelo portal acritica.com, considerando passagens disponíveis para a compra ou reserva, entre os dias 19 de setembro e 26 de outubro, mostram que 12 municípios do Estado possuem voos regulares durante a semana. Em seis deles os preços das passagens de ida e volta são superiores aos maiores valores ofertados para as três cidades estrangeiras citadas acima. As informações são dos portais da Trip Linhas Aéreas e Decolar.com (o qual informa valores e datas disponíveis de várias empresas aéreas brasileiras e internacionais).

Valores

O voo mais barato para Miami, dentro do período pesquisado, é oferecido pela empresa Copa Airlines no valor de R$ 579. Se comparado este valor com o preço de uma passagem para Santa Izabel do Rio Negro com retorno a Manaus, a diferença sobe para 300,7%. O mais caro é ofertado pela TAM Linhas Aéreas no valor de R$ 830.

Para Paris, na França, o valor mais barato encontrado foi de R$ 1.140 (American Airlines) e o mais caro R$ 1.454 (Tap Air Portugal). Para Lisboa, em Portugal, o menor preço ficou em R$ 1.062 (American Airlines) e o maior R$1.554 (Tap Air Portugal). Por último, as passagens de ida e volta mais baratas para Londres, na Inglaterra, ficaram em R$ 1.296 (Air France) e as mais caras em R$ 1.402 (Air France e Gol). Todos os valores correspondem a saídas de Manaus.

Ranking

Santa Izabel do Rio Negro é um município localizado ao Norte do Amazonas, a 629 quilômetros de Manaus. Essa é uma pequena descrição para a localidade cujas passagens de ida e volta, juntas, são as mais caras entre os 12 municípios que possuem voos regulares partindo da capital amazonense, considerando as datas pesquisadas.

Para ir ao local, no dia 9 de outubro – data mais próxima com passagem de ida disponível – e voltar no dia 26 do mesmo mês, o cliente terá que desembolsar R$ 2.320 – R$1.629 só de volta. As datas anteriores não possuem passagens disponíveis.

O segundo município com trechos mais caros é São Gabriel da Cachoeira - a 851 quilômetros de Manaus (R$ 2.190 para ida e volta – R$ 1.219 só de ida) -, seguido de Fonte Boa - distante 676 quilômetros da capital – (R$ 1.750) e Eirunepé – a 1.159 quilômetros de Manaus - (R$1.739). Além deles, a Trip oferece voos para os seguintes municípios: Humaitá, Lábrea, Coari – o mais em conta entre todos, com passagens de ida e volta a R$ 580 -, Tefé, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Barcelos e Parintins.

Fonte: Jornal Acrítica, 29 de Setembro de 2012


Avião aterrissa em São Paulo de Olivença com carga misteriosa a candidato



20h50min Nesta terça-feira aterrissou no aeroporto Senadora Eunice Miquilles, em São Paulo de Olivença, Alto Solimões,  o avião da FOTO. A aeronave decolou de Manaus transportando apenas três caixas que no aeroporto de São Paulo de Olivença foram entregues ao candidato a vereador Lauro  Castelo Branco – o  Laurito (PMDB). Estranhamenmte, Laurito dirigiu seu carro até a porta do avião, onde furtivamente recebeu a carga, Ao ser abordado por funcionários do aeroporto, alegou que se tratava de  material enviado pelo IDAM. Todavia,  o órgão negou em Manaus que tivesse enviado qualquer material para Laurito, o que torna o voo da aeronave mais misterioso e nebuloso. Um bom assunto para a Justiça Eleitoral e Polícia Federal. 


Fonte: Blog da Floresta, 27 de Setembro de 2012

2.339 urnas eletrônicas irão para o interior do Amazonas

Para fazer o envio de todas as urnas, o Tribunal Regional Eleitoral irá gastar R$ 819 mil. Nove municipios já receberam as urnas, outros cinco deverão recebê-las até sexta-feira (07).

Para fazer o envio de todas as urnas, o Tribunal Regional Eleitoral irá gastar R$ 819 mil. Nove municipios já receberam as urnas, outros cinco deverão recebê-las até sexta-feira (07).

Com apenas 33 dias para as eleições, as urnas eleitorais começam ser despachadas para o interior do Amazonas, que foram divididos em polos, até o dia 12 de setembro. Nesta terça-feira (4), mais 339 urnas foram despachadas.

O Amazonas possui 7.555 urnas eletrônicas. Ao todo 2.339 irão para o interior do Amazonas. As urnas ficam sob responsabilidade do cartório eleitoral de cada polo com apoio da Policia Militar do Amazonas.

Até o momento foram enviadas urnas para nove polos: Atalaia do Norte, Beijamim Constant, Santo Antonio de Içá, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Parintins, Tefé, Eirunepé e Coari. Até sexta-feira (07), os municípios de São Gabriel da Cachoeira, Maués, Manacapuru, Itacoatiara e Silves receberão o restante das urnas.

Para fazer o envio de todas as urnas, o Tribunal Regional Eleitoral irá gastar R$ 819 mil


Fonte: Acrítica.com 09 de setembro de 2012


(MICO) PRESO EM FLAGRANTE ASSASSINO DE BERINGO. 


Paulo Ricardo Aimanis Lopes, vulgo "MICO", 22 anos, foi preso pelo Chefe de Polícia, Carlos Alberto, com o apoio do CB PM Benedito, após lesionar até a morte VALDILENO ALVES LIMA, na noite de ontem (19/08/2012), por volta de 20h. O acusado utilizou uma pedra de concreto de aproximadamente 30 kg, para atingir a vítima que passava de motocicleta, que caiu no chão desacordada, momento em que o acusado passou a chutar, pisar e desferir socos na cabeça da vítima que morreu no Hospital da Cidade. De acordo com o acusado, "MICO", este teria revidado às lesões provocadas pela vítima mais cedo, por conta de uma discussão a respeito de seus filhos, já que o acusado é atualmente casado com a ex-mulher da vítima e supostamente os teria maltratado. — em São Paulo de Olivença.


Fonte: Claudia Castro, 19 de AGOSTO 2012


PRESO TRAFICANTE QUE VENDIA DROGAS ATÉ PARA CRIANÇAS EM SÃO PAULO DE OLIVENÇA



No dia 06/08/2012, às 11:30h, uma Equipe de Policiais Civis e Militares do 8º. BPM (SPO) e 3º. BPM (Tefé), sob o comandado do Chefe de Polícia da 52º DIP, Carlos 
Alberto Silva, em cumprimento ao Mandado de Busca e Apreensão, expedido pelo Juiz da Comarca de SPO, prendeu em flagrante delito o nacional DARLAN GOMES HOLANDA, 25 anos , pelo crime de TRÁFICO DE DROGAS. Com o acusado foram encontradas 30 papeletas de pasta base de cocaína, além de uma porção que ainda seria embalada, além da quantia de R$ 510,00 e três mil pesos colombianos, e diversos objetos como relógios, celulares, joias, eletrônicos, entre outros, todos sem nota fiscal que comprovasse sua origem. As investigações policiais iniciaram após denúncias de que diversos menores estariam cometendo furtos e roubos para comprarem drogas do acusado, entre eles uma criança de apenas 10 anos de idade, demonstrando que cada vez mais jovens têm sido aliciados por traficantes em São Paulo de Olivença.


Fonte: Claudia Castro, 10 de Agosto de 2012 


TRE aposta em tecnologia para apuração rápida de votos no AM
Dados serão enviados via satélite para rápida da contagem dos votos. Transporte de urnas para áreas isoladas será feita por aeronaves.

Diretor geral do TRE-AM explicou logística diferenciada das eleições em território amazonense (Foto: Adneison Severiano G1/AM)

          Com um eleitorado de mais 2 milhões de eleitores, distribuídos em Manaus e no interior do estado, a logística das eleições no Amazonas é diferenciada das demais áreas do país, segundo o diretor geral do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Henrique Cerf Levy Neto. Para atender os municípios mais isolados, principalmente o eleitorado das áreas indígenas, o órgão utilizará ferramentas tecnológicas para transmissão de dados nas Eleições 2012. A medida objetiva reduzir o tempo de apuração com o recolhimento dos votos via satélite.
          O diretor geral estima que o resultado final das eleições no Amazonas seja divulgado antes das 22h30, horário alcançado nas eleições de 2010. “Acho que será bem mais rápido, pois estamos todos engajados no sentido de manter esse grau de êxito na apuração de eleições, para dar uma satisfação ao eleitor amazonense”, assegurou.
           Levy Neto enfatizou que, mesmo com a diferença de fuso horário em relação à Brasília, o TRE-AM chegou ficar à frente de outros tribunais na computação dos votos nas últimas eleições. “Em 2010, o TRE-AM às 22h30 do horário local concluiu o resultado, ficando dentro de uma ótima perspectiva. Isso demonstra a capacidade de avanço tecnológico e disposição dos servidores, embora o número de funcionários seja pequeno”, avaliou.

Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas utilizará suporte tecnológico para acelerar apuração dos votos de eleitores em áreas isoladas do estado (Foto: Adneison Severiano G1/AM)

        “O Amazonas hoje é capaz em tempo hábil de informar o resultado do pleito, mesmo em situações que as seções rurais estejam situadas em áreas indígenas como, por exemplo, nos municípios Lábrea, São Gabriel da Cachoeira, Ipixuna e Maués. Apesar do grau de complexidade do planejamento logístico, temos obtido êxito. Em poucos segundos, as informações são enviadas do local de votação ao centro receptor em Manaus”, afirmou Henrique Cerf.

          “A partir da implantação da urna eletrônica em 1996, o TRE-AM passou por diversas mudanças em razão das peculiaridades do estado. Após realiza em 1998 testes na zona rural e na periferia de Manaus com três aparelhos Neras, o Tribunal passou por um significativo processo de modernização que a própria situação impunha ao longo do tempo”, explicou, ressaltando as dificuldades geográficas encontradas na região.

           Depois da primeira tentativa de transmissão de informação, o marco na expansão tecnológica das eleições foi o envio de voto via satélite, processo já utilizado nos pleitos anteriores. Nas eleições majoritárias de 2012, o TRE-AM planeja utilizar aproximadamente 386 pontos de transmissão de votos via satélite em diferentes locais e seções rurais do interior do Estado, reduzindo o tempo de duração do trabalho de apuração do pleito.




Segurança
       Na tentativa de garantir o andamento das eleições e o processo de votação, 24 cidades do Amazonas solicitaram o envio de tropas federais para reforçar a segurança nas localidades no dia 7 de outubro.
        Tiveram o pedido deferido pela Corte do TRE-AM os seguintes municípios: Manacapuru, Novo Airão, Maués, Manicoré, Coari, Carauari, Autazes, Ipixuna, Humaitá, Japurá, Novo Aripuanã, Barcelos, SÃO PAULO DE OLIVENÇA, Parintins, Tefé, Canutama, Lábrea, Boca do Acre, Tapauá, Benjamin Constant, Tabatinga, Itacoatiara e Santa Izabel do Rio Negro.
Manaus fez solicitação de envio de tropas federais e o pedido da capital está em tramitação, aguardando o parecer da Procuradoria Regional Eleitoral do Amazonas.


FONTE:http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2012/07/tre-aposta-em-tecnologia-para-apuracao-rapida-de-votos-no-am.html, 30 de Julho de 2012

Governo libera verba para municípios do Amazonas atingidos pela cheia

Os 16 municípios foram atingidos por enchentes ocorridas em meses como março, abril e maio.
Brasília – O Ministério da Integração Nacional liberou recursos para 16 municípios do Amazonas aplicarem em ações de socorro e assistência às vítimas de enchentes e no restabelecimento de serviços essenciais. As portarias que preveem a liberação e os valores de recurso para cada município estão publicadas na edição de hoje (24) do Diário Oficial da União.

Para todos os municípios, o prazo de execução das obras e serviços chega a um ano. 
As cidades do Amazonas que receberão os recursos são Manacapuru (R$ 869 mil), Tabatinga (R$ 608 mil), Maués (R$ 608 mil). As cidades de São Paulo de Olivença, do Borba, de Eirunepé, Iranduba, Autazes e Envira recebem cada uma R$ 521 mil. Os municípios de Urucurituba, Nhamundá, Carauari e do Rio Preto da Eva recebem cada um R$ 391 mil. Boa Vista do Ramos, Canutama e Itapiranga recebem cada uma R$ 347 mil.

Fonte: D24.com, 29 de julho de 2012

Segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa


A campanha segue at+e o dia 30 de agosto, com o objetivo de manter o Amazonas com status “livre de febre aftosa”


Manaus - Até o dia 30 de agosto acontecerá a  segunda etapa de vacinação contra febre aftosa para mais de 610 mil cabeças de gado em 41 municípios amazonenses. A campanha segue com o intuito de manter o Amazonas com o status “livre de febre aftosa”, além de reduzir a classificação sanitária do rebanho, de alto para médio risco.

Segundo informações dos técnicos da  Comissão Executiva Permanente de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Codesav), a segunda dose, que será aplicada nesta etapa, vai garantir a saúde do rebanho durante o ano. A ação tem parceria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“O equilíbrio da balança comercial brasileira sofre influência de 40% do setor primário do país. Um surto de febre aftosa em qualquer região brasileira acaba influenciando a exportação de carne em todo o país”, disse o gerente de defesa e inspeção animal da Codesav, Alberto Holanda.

Além do impacto econômico causado pela ocorrência da febre aftosa, a doença pode trazer impactos de grandes proporções aos produtores, principalmente porque o município fica interditado. “Todo setor primário é atingido, o trânsito e a comercialização de vegetais e de animais, seus produtos e subprodutos (carne, leite, queijo, couro) ficam proibidos”, reiterou Holanda.

Todo o rebanho vacinado na 1ª etapa da campanha, ocorrida de março a abril deste ano deve receber a segunda dose (reforço). Consequentemente, o criador deve apresentar o recibo da aquisição da vacina e a relação dos animais vacinados (por categoria) à Codesav, para notificação. Caso contrário, ele não poderá receber o Guia de Trânsito Animal (GTA), exigido no momento da comercialização.

O gerente de defesa e inspeção animal afirmou que outra garantia para o Amazonas ter todo seu rebanho vacinado está no fato de que o Governo do Estado é o único a subsidiar a vacina contra febre aftosa no país. De acordo com ele, o valor comercial da vacina é R$1,85, porém com o subsídio do Governo, o produtor paga apenas R$0,60.

Até o dia 30 de agosto a vacinação atingirá 41 municípios envolvidos: Alvarães, Amaturá, Anamã, Anori, Atalaia do Norte, Autazes, Barreirinha, Benjamim Constant, Beruri, Boa Vista do Ramos, Borba, Caapiranga, Careiro Castanho, Careiro da Várzea, Coari, Codajás, Fonte Boa, Iranduba, Itacoatiara, Itapiranga, Japurá, Jutaí, Manacapuru, Manaquiri, Manaus, Maraã, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Parintins, Rio Preto da Eva, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Silves, Tabatinga, Tefé, Tonantins, Uarini, Urucará e Urucurituba.
Os municípios de Boca do Acre, Guajará, Canutama, Humaitá e Sul de Lábrea acompanham a vacinação do Estado de fronteira.

TCE reprova as contas de três ex-prefeitos do AM e aplica multa de R$ 5,7 mil


O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) reprovou as contas de três ex-prefeitos (de São Paulo de Olivença, Anori e Guajará), na sessão desta quinta-feira (12), e aplicou multa de R$ 5,7 milhões



Sessão plenária no TCE-AM (Dicom/TCE-AM: 21/jun/2012)




O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) reprovou as contas de três ex-prefeitos (de São Paulo de Olivença, Anori e Guajará), na sessão desta quinta-feira (12), e aplicou multa de R$ 5,7 milhões.

          Do montante somado, somente o ex-prefeito de São Paulo de Olivença, Alcides Muller, foi multado R$ 5,6 milhões por diversas irregularidades encontradas nas contas do exercício de 2000. O relator do processo nº 6355/2001, conselheiro Júlio Cabral, identificou, entre as impropriedades, a ausência de toda documentação contábil/financeira e de receita/despesa e ausência da documentação comprobatória da despesas relativas ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

          O ex-prefeito de Anori, Ernesto Gomes da Rocha, também teve as contas, do ano de 2006, consideradas irregulares, e foi multado em R$ 17,6 mil. Segundo parecer do conselheiro-relator do processo, Raimundo Michiles, o gestor não cumpriu o limite de aplicação de verbas destinadas, por exemplo, à saúde e educação, além de não ter encaminhado balancetes mensais do TCE e atrasado a entrega das prestação de contas anuais.

          Já o ex-prefeito de Guajará, Samuel Farias de Oliveira, foi multado em R$ 16,9 mil, por irregularidades em licitações, não comprovação de recibo de viagens e atrasos de balancetes, entre outras impropriedades.

          Na mesma sessão, os conselheiros negaram recurso da ex-secretária de Estado de Ciências e Tecnologia, Marilene Corrêa. Por unanimidades, o pleno manteve suas contas irregulares e multa de R$ 6,4 mil por atraso de envio de balancetes mensais ao TCE e compras diretas de passagens aéreas, material de informática e contratações de buffets.


Fonte: Acrítica.com, 13 de julho de 2012

Juiz Rommel Rodrigues foi acusado de balear um adolescente em São Paulo de Olivença  Mesmo afastado juiz do AM recebe salário na integra.
Liminar concedida por Flávio Pascarelli mantém salário de juiz na íntegra apesar do magistrado estar afastado da função

Expulso da magistratura por decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), o juiz de direito Rommel Queiroz Rodrigues, conseguiu, por meio de liminar (decisão rápida e provisória), manter o salário de R$ 19,5 mil mensais mesmo estando afastado da função.

          A liminar foi concedida, no plantão do fim de semana, pelo desembargador Flávio Pascarelli. O magistrado atendeu ao pedido formulado por Rommel Rodrigues, por meio de um mandado de segurança, no qual contesta ato do presidente do TJ-AM, desembargador Ari Moutinho, que o encaminhou para a inatividade com salário de 41% ao que recebia como ativo. Ou seja, Rommel ia passar a receber R$ 8.025,04. O ato a que se refere o processo foi emitido no último dia 6. Trata-se da portaria que desliga Rommel da vida funcional ativa do Judiciário amazonense.

           No dia 19 de dezembro de 2011, o Pleno do TJ-AM decidiu, por unanimidade, aposentar de forma obrigatória, Rommel Rodrigues, que atuou na comarca de Novo Aripuanã (a 225 quilômetros de Manaus). A corte tomou a decisão ao final de um processo administrativo e disciplinar. O magistrado foi acusado de disparar um tiro no peito de um adolescente de 17 anos de idade, no Município de São Paulo de Olivença (a 988 quilômetros de Manaus), na madrugada do sábado de Carnaval, de 2007.

           Segundo relatos da mãe da vítima, a agricultura Raimunda Pereira, em matéria publicada no dia 24 de fevereiro daquele ano em A CRÍTICA, o jovem foi baleado no momento em retornava para casa com amigos após um baile de Carnaval. O juiz teria parado os adolescentes e mandado eles irem para casa. Um dos adolescentes teria dito um palavrão. O magistrado teria descido do carro e efetuado três disparos. Um deles atingiu o adolescente.

           No último dia 26, os membros do TJ-AM, em decisão unânime, confirmaram a aposentadoria compulsória de Rommel Rodrigues e fixaram o valor do salário que ele passaria a receber no quadro de inativos em 41,07% do salário de R$ 19,5 mil mais o acréscimo de gratificação natalina cujo valor não foi descrito.  

           Após o plantão do fim de semana, o mandado de segurança do juiz de Novo Aripuanã, foi distribuído para o desembargador João Simões. A decisão liminar emitida por Pascarelli foi informada, na segunda-feira, a Ari Moutinho e ao procurador geral do Estado, Francisco Cruz. O caso ainda será julgado pelo Pleno.




Fonte: Acrítica.com, 13 de julho 2012 



Cursos de pescado e piscicultura abrem opções em Iranduba e São Paulo de Olivença
O Oportunidade e Renda chegou a Iranduba e mais 36 municípios amazonenses no início deste mês. O projeto atende a 4,1 mil pessoas com qualificação profissional em 48 modalidades diferentes de cursos.

Nesta etapa, os municípios beneficiados são:
Autazes, Boa Vista do Ramos, Boca do Acre, Barcelos, Borba, Canutama, Carauari, Codajás, Coari, Careiro Castanho, Envira, Eirunepé, Fonte Boa, Guajará, Humaitá, Ipixuna, Iranduba, Itacoatiara, Itamarati, Itapiranga, Lábrea, Manacapuru, Manaquiri, Manicoré, Nova Olinda do Norte, Parintins, Pauini, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, São Gabriel da Cachoeira, Silves, Tabatinga, Tefé, Urucará e Urucurituba.



Manaus - Pescadores, donas de casa e feirantes são alguns dos trabalhadores de Iranduba (a25 quilômetrosde Manaus) entusiasmados com a possibilidade de ampliar a renda a partir da participação em cursos voltados ao beneficiamento de pescado e piscicultura, oferecidos pelo Centro de Educação Tecnológica (Cetam) como parte do projeto Oportunidade e Renda, do Governo do Amazonas.

        A feirante Roseneide da Silva, 50, é uma das beneficiadas pelo projeto. Ela faz parte de uma turma de 27 alunos do curso. Com carga horária de 120 horas, o curso ensina a elaborar novos produtos a partir do pescado, tais como linguiça, hambúrguer, farinha de piracuí, extração do filet e espinha, salga, além de abordar a questão da higiene. Para Roseneide, essa é a chance de ampliar a renda da família.

         “Eu nunca imaginei vender mais do que o peixe fresco (sem beneficiamento). Agora eu vejo que essa qualificação vai ampliar o negócio da família”, disse a feirante, acrescentando que não mede esforço para conciliar o trabalho na feira com as aulas. “É uma oportunidade única que no meu caso o retorno é imediato. Colocando em prática a técnica de retirar o filet do peixe, o preço do cubiu fresco vendido a R$ 12 o quilo, chegará a R$ 20 se vendido em filet”, avaliou Roseneide.

         O Oportunidade e Renda, que faz parte do programa Amazonas Social, chegou a Iranduba e mais 36 municípios amazonenses no início deste mês. O projeto atende a 4,1 mil pessoas com qualificação profissional em 48 modalidades diferentes de cursos.

          De cinco modalidades de cursos disponíveis em Iranduba, a dona de casa Almerinda Barbosa, 53, escolheu as aulas de ‘Piscicultura Básica com Ênfase na Fabricação de Ração’. Para ela, além de aumentar as chances de empregabilidade, o curso também estimula o surgimento de novos negócios para o interior. “Após a construção da ponte muitas empresas desse segmento estão se instalando aqui, até porque a atividade de piscicultura é muito forte em Iranduba”, observou Almerinda, ressaltando que espera entrar no mercado de trabalho.

         De acordo com a presidente do Cetam, Joésia Pacheco, a integração do interior consolida a primeira etapa do Oportunidade e Renda que, na capital, ofereceu 18 mil vagas. “A qualificação profissional do homem do interior demonstra a continuidade do projeto preconizado pelo governador Omar Aziz. Os cursos têm carga horária que varia de 60 horas a 150h”, informou Joésia.

         Cada município foi contemplado em média com quatro modalidades de curso. Para cada localidade as áreas de qualificação variam desde o curso de pintor de obras ao de recepcionista em meios de hospedagem. Conforme a presidente do Cetam, a oferta leva em consideração a demanda por profissionais, bem como a possibilidade de gerar renda no município. “A ideia do projeto é fortalecer a economia do interior. Isso requer profissionais qualificados que atendam as exigências do mercado, além de cabeças capazes de tocarem o próprio negócio”, explicou.

      

FONTE: D24 MANAUS, 09 DE JULHO DE 2012

No Amazonas, 32 municípios recebem retroescavadeiras do MDA
           O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) entrega nesta sexta-feira, 6, retroescavadeiras a 32 municípios do Amazonas. Cada local contemplado receberá um equipamento. As máquinas ajudam, principalmente, na reconstrução das estradas que ligam as zonas urbanas às zonas rurais, as chamadas estradas vicinais, facilitando a comercialização dos produtos da agricultura familiar. A ação integra a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). A solenidade de doação do maquinário ocorrerá às 10h, no Parque de Exposições Agropecuárias Dr. Eurípedes Ferreira Lins, em  Manaus.
           Os municípios contemplados pela iniciativa do ministério estão localizados em seis Territórios da Cidadania do estado: Mesorregião Alto Solimões; Madeira; Indígena do Alto Rio Negro; Baixo Amazonas, Manaus e entorno; e Alto Juruá. Aproximadamente 25 mil famílias agricultoras serão beneficiadas com a doação dos equipamentos. “Esses municípios estão sofrendo com a recente enchente que atingiu a região. E os agricultores rurais precisam de condições para escoar os produtos cultivados”, avalia o delegado federal do MDA no estado, Lúcio Carril.
           Em Envira, um dos municípios contemplados, a entrega atenderá cerca de 1,5 mil famílias da área rural. Responsáveis pela produção de farinha de mandioca, milho, arroz e feijão, os agricultores do município utilizam 116 quilômetros das estradas vicinais da região para comercializar sua produção na  cidade. Mas as fortes chuvas que caíram até o mês de junho têm prejudicado o processo de venda.
         “No inverno passado, tivemos muitas chuvas e enchentes que deterioraram as estradas vicinais. A entrega da retroescavadeira vem como uma salvação para a gente melhorar o escoamento da produção. Nosso mercado é pequeno e longe das outras cidades. Se não garantirmos a comercialização, o produtor da cidade vai passar fome.  Essa retroescavadeira é muito valiosa para nós”, afirma o prefeito de Envira, Rômulo Barbosa Matos.
           Localizada  na divisa de Amazonas com o Acre, a retroescavadeira chegará em Envira por meio dos rios, único modo de transportar o equipamento. “Nós estamos a 3.496 quilômetros de distância de Manaus. O transporte da máquina será feito via fluvial, com duração de, no mínimo, 22 dias. No trajeto, a retroescavadeira passará por quatro rios – Negro, Solimões, Juruá e Tarauacá”, comenta o prefeito. 

Confira a relação do municípios contemplados em Amazonas
Território Mesorregião Alto Solimões
Amaturá 
Atalaia do Norte 
Benjamin Constant 
Fonte Boa 
Jutaí 
São Paulo De Olivença 
Tabatinga 
Tonantins 

Território Madeira 
Apuí 
Borba 
Manicoré 
Nova Olinda do Norte 
Novo Aripuanã 

Território Indígena do Alto Rio Negro 
Barcelos 
Santa Isabel do Rio Negro 
São Gabriel da Cachoeira 

Território Baixo Amazonas 
Barreirinha 
Boa Vista do Ramos 
Maués 
Nhamundá 
São Sebastião do Uatumã 
Urucará 

Território Manaus e entorno
Careiro 
Careiro Da Várzea 
Iranduba 
Itapiranga 
Manaquiri 
Presidente Figueiredo 
Silves 
Urucurituba 

Território Alto Juruá
Envira 
Guajará 


A ação do PAC 2

Até o momento, o MDA já entregou 1.113 retroescavadeiras, beneficiando 1.137 municípios brasileiros. O Rio Grande do Sul foi o primeiro estado a receber os equipamentos, em dezembro de 2011. Este ano, municípios do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Alagoas, Rondônia, Bahia, Ceará, Sergipe, Piauí, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, São Paulo, Roraima e Pará receberam os equipamentos.
Recentemente, foi anunciada pela presidenta Dilma Rousseff a doação de retroescavadeiras para mais 3.591 municípios e de mais 1.330 motoniveladoras. 

Agricultura familiar no Amazonas 
A agricultura familiar é hoje responsável por 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros. De acordo com o Censo Agropecuário de 2006, o mais recente feito no país, no Amazonas existem mais de 66 mil estabelecimentos da agricultura familiar, correspondendo a 93% dos estabelecimentos agrícolas do estado. O valor bruto da produção dessas famílias ultrapassa R$ 539 milhões, o que representa 83% de toda a produção agrícola amazonense. Os principais alimentos fornecidos por esses trabalhadores do campo são arroz, feijão, milho, mandioca e café.

         Pela lei brasileira (11.326/2006) que trata da agricultura familiar, o agricultor familiar está definido como aquele que pratica atividades ou empreendimentos no meio rural, em área até quatro módulos fiscais, utilizando predominantemente mão de obra da própria família em suas atividades econômicas. A lei abrange, também, silvicultores, aquicultores, extrativistas e pescadores.
Fonte: www.mda.gov.br , 06 de julho 2012

Manaus terá a maior usina solar da América Latina


Geração de energia terá potencial para atender quase 4 mil residências, mas fornecimento será adicionado na malha elétrica de Manaus
O potencial do sol é descomunal e pode ser revertido em muitos benefícios para as pessoas (Infográfico: Celso Paula)
Em dois anos, Manaus vai instalar a maior usina solar da América Latina, com potencial de 6MW e capacidade para capacidade para atender 3.757 residências, com um consumo médio de 154 kWh/mês. A usina será construída no entorno da Arena Amazônia (ex-Estádio Vivaldo Lima), bairro Flores, na Zona Centro-Oeste. O espaço inicialmente escolhido é a área onde funciona o cartódromo.

A geração de energia solar será adicionada na malha elétrica de Manaus, somando-se ao óleo combustível e diesel, à base hídrica (Hidrelétrica de Balbina), ao Linhão de Tucuruí (quando inaugurado) e ao gás natural (quando funcionar integralmente). Segundo Bittencourt, o grande benefício será ambiental.

“A vantagem é que a gente vai quebrar cada vez mais o uso da energia não-renovável e adicionar o uso renovável. Uma usina que poderia estar queimando combustível fóssil com 6 MW mais, vai estar deixando de queimar 6 MW menos”, disse Anderson Bittencourt, Bittencourt, vice-coordenador do Centro Estadual de Mudanças Climáticas (Ceclima), que tem como uma de suas funções contribuir para a formulação de políticas no setor de energias renováveis no Amazonas. O órgão é vinculado à Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS).

O projeto foi desenvolvido pelo governo do Amazonas a partir de estudos concluídos em dezembro de 2011 pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com recursos financiados a fundo perdido pelo Banco de Desenvolvimento da Alemanha (KfK). Os recursos foram disponibilizados para as 12 cidades-sedes da Copa de 2014 e quatro capitais foram selecionadas.

Expansão

O projeto de energia solar em Manaus tem pretensões mais abrangentes. Sua proposta é expandir a construção de sistemas de geração de energia solar para 25 municípios do interior do Amazonas que estão fora do itinerário do Linhão de Tucuruí e da possibilidade de serem atendidos pelo Sistema Integrado Nacional por meio da usinas da calha do Madeira (Jirau e Santo Antônio).

“A usina em Manaus será uma vitrine da importância de a gente difundir e disseminar o uso da energia não só nas capitais mas em todo o interior. Ela também passará a ser um de itinerário turístico”, disse o vice-coordenador do Ceclima, vinculado à Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS).

Bittencourt aposta no interesse futuro da Eletrobras Amazonas Energia em recorrer aos estudos da UFSC, que possui um grupo de pesquisa em energia solar, que atestaram a viabilidade de geração de energia solar no interior do Amazonas.

Conforme Bittencourt, não se pode descartar o potencial brasileiro de hidroeletricidade, mas esta oferta já está sendo explorada com Belo Monte, Tucuruí e Itaipu. No interior do Amazonas, o sistema ideal seria Híbrido, que uniria os tipos Isolado e a Termoelétrica para que haja redução do consumo do combustível.

Atualmente, a maior usina solar do Brasil fica em Tauá, no sertão do Ceará, de propriedade do empresário Eike Batista. Ela tem potencial de 1 MW.

Hidrelétricas

Para Anderson, mais do que hidrelétricas, o Estado do Amazonas precisa de usinas solares. “Para a escala de demanda das cidades e comunidades do Amazonas, não precisamos de hidrelétricas. Precisamos de usinas solares e de usinas baseadas em biomassa. Existem características de determinadas regiões que não cabe uma hidrelétrica e é preciso buscar alternativas”, conta Bittencourt, vice-coordenador do Centro Estadual de Mudanças Climáticas (Ceclima), que tem como uma de suas funções contribuir para a formulação de políticas no setor de energias renováveis no Amazonas.

Conforme Bittencourt, não se pode descartar o potencial brasileiro de hidroeletricidade, mas esta oferta já está sendo explorada com Belo Monte, Tucuruí e Itaipu. No interior do Amazonas, o sistema ideal seria Híbrido, que uniria os tipos Isolado e a Termoelétrica para que haja redução do consumo do combustível

Municípios

Segundo a SDS, os municípios do Amazonas aptos a receber energia solar são Eirunepé, São Gabriel da Cachoeira, Carauari, Benjamim Constant, Tapauá, Envira, Fonte Boa, Jutaí, São Paulo de Olivença, Pauini, Uarini, Ipixuna, Itamarati, Barcelos, Beruri, Tonantins, Alvarães, Santo Antônio do Içá, Canutama, Maraã, Santa Isabel do Rio Negro, Japurá, Juruá e Atalaia do Norte. Conforme Anderson Bittencourt, a demanda de potencial destes locais estão abaixo de 6 MW.

 PIM

A usina de energia solar em Manaus terá aproximadamente25.650 módulos fotovoltaicos (p-Si), 570 inversores, numa área total ocupada pela estrutura metálica de 44.913,15 metros quadrados.

Para a implantação, estima-se um investimento de R$ 40 milhões, que será dividido entre a Eletrobrás Amazonas Energia, Governo do Amazonas e investidores privados (cuja identificação não foi revelada). O planejamento prévio pretende montar os módulos no teto e a área inferior poderá ser transformado em estacionamento.

Os equipamentos serão importados, mas já existe plano para a liberação de incentivos fiscais que facilitem a fabricação de módulos e baterias no Pólo Industrial de Manaus Atualmente, o PIM possui tecnologia para fabricar inversores e controladores. “Vai ser criado um plano de atração de investimento das empresas para o PIM. Isso é um marco no Brasil. Não existe pólo industrial renovável no Brasil. Não existe sequer uma empresa no país produzindo módulos solares. Não precisamos mais precisar comprar na Alemanha, Índia ou China”, contou.

Sistemas

Os sistemas fotovoltaicos que existem são os Conectados à Rede, os Isolados, os Híbridos e as Usinas. Em Manaus, a energia gerada será por Usina Solar, que produz uma grande quantidade de eletricidade em um único ponto.

A energia da Usina não vai sair de uma rede para ser distribuída a uma determinada residência. Ela será adicionada ao sistema elétrico já existente.
Anderson Bittencourt diz que a Eletrobras apontou que em 2011 cerca 100 mil domicílios no Amazonas ainda não têm acesso à eletricidade
Miniusinas
A Eletrobras Amazonas Energia diz não existe projeto em andamento para os 25 municípios aptos a receber energia solar, mas informa que atende, desde julho de 2011, 12 comunidades isoladas com o projeto “12 Miniusinas com Minirredes e Sistema de Faturamento Pré-pago”, por meio do Programa Luz Para Todos, nos municípios de Novo Airão, Autazes, Barcelos, Beruri, Eirunepé e Maués. Este formado é considerado único o Brasil.
A empresa aguarda aprovação da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) para que 95 novas miniusinas do mesmo modelo sejam instaladas em outras localidades do Amazonas.
A concessionária também vai iniciar no município de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus) um sistema piloto de painéis solares em algumas residências. Adotando um sistema híbrido, o consumidor parintinense poderá utilizar energia fotovoltaica em determinado período do dia. Em um outro momento, ele utilizará a energia vinda das redes de distribuição de energia da Eletrobras.
A Eletrobras informa que já vem sendo desenvolvida a produção de energia elétrica a partir do etanol da mandioca, único no país. Uma usina instalada na Vila de Lindóia, município de Itacoatiara (176 quilômetros de Manaus), passará a produzir, ainda em fase experimental, o etanol da mandioca para alimentar geradores de energia que irão atender moradores daquela localidade.Posteriormente, a empresa planeja levar o mesmo formato de fonte de geração de energia elétrica para outros municípios do Amazonas e de outros Estados do Brasil.
Comentário:
Telma Monteiro – pesquisadora independente, autora do bloghttp://telmadmonteiro.blogspot.com.br/
“Um bom investimento do dinheiro público seria implantar e subsidiar energia fotovoltaica nos telhados das casas e jogar a energia excedente no sistema. Mas ainda não temos legislação que autorize. E as ações para isto são incipientes porque o governo não está financiando. Por este motivo está saindo mais caro. Se o governo pode financiar uma Belo Monte, poderia reservar uma parte do investimento para as concessionárias adequar sua tecnologia. As usinas são construídas para grandes consumidores de energia e a indústria que tem como principal insumo a energia elétrica”.

Fonte: Jornal Acrítica, 04 de julho 2012 


‘Empresário tem que tentar prever o futuro’

Novo presidente da Associação Comercial do Amazonas revela sua  trajetória   e fala dos desafios da economia brasileira para 2012. Em Manaus, o foco hoje é solucionar questão de acesso ao Centro



Ismael Bicharra tomou posse este mês como novo presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA) (Evandro Seixas)




Diz a lenda que os árabes, se não inventaram o comércio, foram os primeiros a lucrar com ele. Seguindo a tradição, o amazonense Ismael Bicharra Filho, 54, desde cedo se movimentou nessa direção. E com a mulher, Amália, conseguiu montar negócios sólidos, boa parte baseada em importações. Bicharra tomou posse este mês como o novo presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), onde pretende nos próximos dois anos preservar o legado da entidade de 141 anos e atender as demandas advindas do setor.  Em entrevista ao A Crítica, Bicharra conta sua trajetória empresarial que começou com uma pequena loja dentro do Hotel Tropical há 26 anos. Também fala que diante do aprofundamento da crise internacional e apesar das medidas do governo, não acredita em crescimento da economia este ano, além de adiantar a busca de alternativas para movimentar o comércio do Centro de Manaus, após a cheia e as mudanças no trânsito.



Quem é Ismael Bicharra Filho?

Sou caboclo da terra, de São Paulo de Olivença. Vim com sete anos para Manaus. O meu pai tomava conta da rede de telégrafos em São Pulo de Olivença e Benjamin Constant. Nós, árabes, sempre enveredamos para o comércio, e acredito que isso esteja no nosso sangue. Comecei a trabalhar com 12 anos, no escritório do advogado Nissin Benoliel, entregando intimações. Depois, fui um dos primeiros DJs, no Ideal Clube, o que me levou a trabalhar na Disco de Ouro. Depois fui para a Varig e subi muito rápido na empresa.



E como foi para o senhor se tornar empresário?

Como o meu relacionamento, ainda na Varig, era muito próximo à diretoria do Hotel Tropical, consegui uma loja pequena, de 20m, no shopping do hotel. Ali eu e minha esposa, Amália, iniciamos a nossa atividade empresarial, dia 1º de maio de 1986. Demos muita sorte. Tínhamos poucos recursos e para entrar no shopping do hotel, só tinha um modo: ser útil. Então montamos a Drugstore. O medicamento era nacional e todo o resto importado, porque era o grande nicho de mercado. Juntamos a necessidade do hóspede com os produtos para a venda. Tínhamos filme, repelente, tudo focado na necessidade do turista



Desde o início o negócio foi de família?

Sim. E no início continuamos trabalhando na Varig. Quando ela engravidou da nossa primeira filha, dormia atrás do balcão da nossa loja. Sábado e domingo também. Nós éramos a primeira loja que abria, para pegar os turistas, e a última que fechava.



O que inspirou o negócio Drugstore?

O nome inicial era drogaria Santa Amália S.A. Depois, como viajávamos muito para o exterior, resolvemos mudar. Após três anos, abrimos nossa segunda loja, na Guilherme Moreira no Centro. Na parte de cima era um hotel em ruínas. A lojinha dava pouco mais de um metro por dois de fundo e as prateleiras eram uma escada. Depois tivemos loja no Sucatão, no Cecomiz, chegamos a ter sete lojas no auge da ZFM e mais de 100 funcionários. Hoje, temos mais de 150 funcionários, fora os profissionais, porque agora temos a distribuição.



Como foi para o senhor começar a importar?
Minha primeira viagem para os Estados foi para fazer compras. Conseguíamos ser agressivos porque vivíamos com o nosso salário, e toda a rentabilidade da empresa era reinvestida nela. Lembro que a gente comprava, para revenda, o desodorante Brut aqui em Manaus a US$ 6. Descobrimos que comprando lá em quantidade maior saía a US$ 1. Trouxemos e vendemos a US$ 7 na ponta enquanto todo mundo vendia US$ 9. Nisso, começamos multiplicar nosso investimento.

E como fez para continuar após a abertura econômica com o Collor de Melo?
O governo criou novas normas e procedimentos que criaram dificuldade nas burocracias que hoje são aplicadas no Brasil. A partir daí a ZFM começou a declinar. E isso aconteceu não porque abriu a importação para o resto do Brasil, mas porque as novas regras, como certificação de produtos, as autorizações dos Ministérios da Saúde, da Agricultura, as análises feitas pelos laboratórios para que se tenha a certificação do Inmetro, prejudicaram a Zona Franca, já que não tínhamos laboratórios aqui.

E como vocês fizeram para superar isso?
Pensando nesses problemas. Participávamos de feiras internacionais e tínhamos muitas informações sobre como os outros países procediam em relação a controles. Então começamos a pulverizar a venda de importados para a periferia de Manaus. Antes as pessoas diziam: “Vou lá na Zona Franca” e se achava que a ZF era o Centro da cidade. Além disso, abrimos lojas de importados dentro dos supermercados e drogarias da cidade. Isso há dez anos e não existe mais.

Atualmente como estão configurados os seus negócios?
Temos as lojas Drugstore, no Amazonas Shopping e Manauara Shopping, e em cima os salões de beleza. Temos a loja Cabelo & Corpo, um supermercado chamado Matchou, no Novo Aleixo, a Espaço e Negócio e temos a Constanza no Shopping Manauara, que é uma loja de sapatos e acessórios. Trabalhamos ainda na distribuição de produção de produtos importados, nacionais e produtos direcionados ao público profissional da área de salão de beleza (Senscience e Joico).

Então diversificar o negócio foi a saída para permanecer e crescer no mercado?
Sim. E sempre existe uma necessidade do empresário de tentar prever o futuro e tentar acertar a previsão. Hoje, por exemplo, estamos vivendo um momento muito complicado no Brasil e no mundo. A Presidente acabou de liberar US$ 115 bilhões para a agricultura já pensando nos problemas com fornecimento. Na quarta-feira foi outro pacote com R$ 8,4 bilhões para a compra de equipamentos pelo fato de prever os problemas da crise que a gente está sentindo muito forte.

Teremos crescimento na economia do País este ano?
Não, embora os crescimentos individuais sejam possíveis. Existia previsão do Governo Federal de que o PIB do País iria crescer 4,5%, hoje ele já fala em 2,5%. Quer dizer que pode contar que está em pouco mais de 1%. A situação na Europa está muito complicada, a China vai reduzir 2,5% no seu crescimento histórico, e isso afeta o mundo inteiro. O nosso comércio teve uma queda de 7% no primeiro semestre com relação ao ano passado e devemos ter crescimento no segundo semestre, o que é natural, mas não será maior que em igual período do ano passado.

Numa crise, quais os caminhos para o empresário?
O empresário tem sempre de buscar alternativas, ainda mais na crise, inclusive fora do eixo de atuação para que seja impactado o mínimo possível. Encontrar um novo nicho de mercado que possa crescer. Temos uma Copa na nossa cidade daqui a dois anos, então é procurar alternativas que envolvam todo o evento que vai haver, e o empresário tem capacidade disso.

Quais as prioridades para o comércio amazonense?
Hoje é a situação do Centro de Manaus. Em reunião com os empresários, eles mostraram o desespero e a necessidade de se fazer alguma coisa. Depois da cheia e da mudança no trânsito, tirando o terminal da Matriz para a Praça da Polícia, a  situação ficou muito sofrida. Tem empresas com queda no faturamento de 90%. Os hotéis não conseguem mais receber convenções porque não tem mais acesso. A área da Floriano Peixoto também está toda comprometida. Antes, as pessoas vinham ao mercado e movimentavam toda aquela área, hoje não têm acesso.

E já há alternativas?
Estamos trabalhando junto aos técnicos da Prefeitura Municipal de Manaus para que a gente tenha alternativas. Entre elas está abrir a Henrique Martins até a Lobo D'Almada, permitir que os táxis passem pela Sete, levar uma parte dos ônibus para a Ilha de Monte Cristo, lá no mercado, além de melhorar o fluxo dentro do Centro, tirando os calçadões da Guilherme Moreira, Doutor Moreira e Marcílio Dias.

Quais os planos para os próximos dois anos a frente da ACA?
É preservar o legado que a entidade está me passando. Nós criamos um planejamento estratégico com eixo em quatro pilares, que são o aumento do quadro de associados, passando de cerca de 400 para o dobro até o fim do ano; promoção de  convênios, com hotéis, restaurantes, planos de saúde e afins para prestar serviços para o associado; estarmos mais próximos das entidades do governo e dos problemas sociais inerentes às atividades do comércio e, por último, atender as demandas promovidas pelo comércio.

FONTE: JORNAL ACRÍTICA, 04 de Julho 2012 


Amazonas tem 59 ex-prefeitos inelegíveis
Relação de gestores públicos com contas reprovadas foi entregue ao TSE e fundamentará impugnação de candidaturas

ARISTIDE FURTADO
Ex-prefeito de Nova Olinda do Norte Sebastião Maciel é o campeão de contas rejeitadas (Mário Silva)
Cinquenta e nove ex-prefeitos de municípios do interior do Amazonas fazem parte da lista de gestores com contas reprovadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) que foi entregue, ontem, à presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia. A relação servirá de base para o Ministério Público Eleitoral (MPE) contestar registros de candidaturas.
Segundo a Lei de Inelegibilidades, não podem concorrer à eleição os que tiverem as contas rejeitadas por irregularidade insanável e que configure ato doloso de improbidade administrativa, por decisão irrecorrível. Essas pessoas não podem se candidatar nas eleições que se realizarem nos oito anos seguintes à data da condenação.
O campeão de contas reprovadas é o ex-prefeito de Nova Olinda do Norte Sebastião Maciel. Na lista encaminhada ao TSE aparece com 19 registros. A segunda colocação no ranking dos inelegíveis é dividida pelos ex-prefeitos de Tefé Hélio Bessa, de São Paulo de Olivença Hamilton Fermin, Tabatinga Raimundo Nonato de Souza, Manaquiri Sando da Silva Pires. Cada um deles possui 11 contas julgadas irregular pelo TCU.
O terceiro lugar fica com o ex-prefeito de Itamarati Raimundo Gomes Lobo. Tem nove prestações de contas reprovadas. Com oito pendências, estão os ex-prefeitos de Itapiranga João de Deus Marques e de Iranduba José Maria Muniz (que está cumprindo quatro anos e meio de prisão por malversação de recursos públicos). 
A lista dos políticos encrencados com o TCU inclui ainda os ex-prefeitos de  Codajás Abraham Lincoln, de Amaturá Airton Zau, de Barcelos Alberta Maria de Deus, de São Paulo de Olivença, Alcides Muller, de Beruri, Alcimar Bezerra Moraes, de São Gabriel da Cachoeira Amilton Gadelha e Raimundo Quirino, de Rio Preto da Eva Anderson Souza, de Borba Antônio Gomes Graça, de Carauari Bruno Litaiff, São Sebastião do Uatumã Carlos dos Santos.
Da relação fazem parte também os ex-prefeitos de Maués Carlos Esteves, de Manaquiri Clodoaldo Rodrigues e Sandro da Silva Pires, de Careiro Edmundo da Silva Costa, de Uarini Eronildo da Mota, de Tefé Etelvino Celani, de Urucurituba Félix Vital de Almeida, de Itamarati Francisco Barroso, de Pauini Francisco das Chagas da Costa,  de Japurá Gefferson Almeida de Oliveira, de Barreirinha Gilvan Seixas. O  prefeito de Eirunepé Dissica  Tomaz e  o ex-prefeito José Monteconrado constam da relação.  Assim como o prefeito de Jutaí Asclepíades de Souza,
Também possuem contas reprovadas o ex-prefeito de Parintins Heraldo Maia, de Novo Aripuanã Hilton Laborda, de Borba Jones Karrer, de Tonantins Jorge Amazonas, de de Itapiranga José Nivalter, de Barcelos  Ribamar Beleza, de Pauini José Amorim.
 Sidney Leite tem conta reprovada
O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Maués, Sidney Leite (DEM), integra a lista de gestores públicos com contas reprovadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
Ex-prefeito de Maués, o parlamentar foi condenado por irregularidades na execução de um convênio com a União para construção de uma fábrica de redes. Na lista que o TCU entregou ao TSE, o nome de Sidney Leite aparece entre os gestores do Estado do Acre.
Apresentam contas reprovadas no TCU também os ex-prefeitos de Manacapuru Luiz Mota, Manicoré Manoel Galdino, Itacoatiara Miron Fogaça, Iranduba Nelson Maranhão, Tapauá Ocimar Lopes, Beruri Odilon Picanço, Canutama Raimundo Amorim, Boa Vista do Ramos, Roberto Dácio e Vasco Bento, Urucurituba Salomão Silva, Fonte Boa, Sebastião Lisboa, Tefé Sidônio Gonçalves, Codajás Simão Barros, Jutaí Umberto Lasmar, Barcelos Valdeci Raposo e Novo Airão Wilton Santos.
 Balieiro e Adail estão na relação
Condenado pela Justiça Eleitoral por abuso do poder econômico e político na eleição de 2008, quando distribuiu R$ 4 milhões em brindes à população nos festejos do Dia das Mães, o ex-prefeito de Coari Adail Pinheiro também consta da lista possíveis inelegíveis do Tribunal de Contas da União (TCU).
Adail tem dois processos oriundos de convênios com o Governo Federal reprovados pelo Tribunal de Contas. Tanto a decisão da Justiça Eleitoral, que foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quanto a do TCU, deixam o  ex-prefeito passível, se decidir concorrer à Prefeitura de Coari este ano, de ser enquadrado na “Lei da Ficha Limpa”. Adail também possui quatro contas reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM).
O advogado de Adail, e ex-prefeito de Tabatinga Francisco Balieiro é um dos gestores na lista do TCU. Balieiro, que atuou como deputado estadual é pré-candidato a prefeito de Tabatinga.
FONTE: JORNAL ACRÍTICA, 23 DE JUNHO 

MPF no Amazonas denuncia colombiana envolvida com

as FARC

Acusada foi presa em abril deste ano, quando chegava no município de Santo Antônio do Içá (a 888 quilômetros a oeste de Manaus) com três quilos de cocaína na bagagem.
Manaus - O Ministério Público Federal em Tabatinga denunciou uma colombiana de 38 anos por tráfico internacional de drogas. A acusada foi presa em abril deste ano, quando chegava no município de Santo Antônio do Içá (a 888 quilômetros a oeste de Manaus) com três quilos de cocaína na bagagem. A droga, segundo ela, foi adquirida em negociação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

De acordo com as investigações, a colombiana partiu do município de Puerto Leguizamo, em Putumayo, na Colômbia, com o objetivo de vendê-la por aproximadamente R$ 9 mil assim que chegasse à Manaus.

Chegando a Letícia, cidade colombiana localizada na fronteira com o Brasil, a acusada  seguiu de barco para o município amazonense de São Paulo de Olivença (a 988 quilômetros a oeste da capital), de onde partiu em outra embarcação, com destino a Manaus.

No dia 29 de abril deste ano, no porto de Santo Antônio do Içá, a droga foi encontrada na bagagem da colombiana, durante revista policial de rotina na embarcação.

Associação às Farc - Sobre a relação com o grupo colombiano, a acusada afirmou, durante interrogatório, que há muito tempo fornecia alimentos aos guerrilheiros em troca de cocaína para venda.

Na denúncia apresentada à Vara de Justiça Federal em Tabatinga, o MPF pede a condenação da colombiana pelo crime de tráfico internacional de drogas, previsto no artigo 33, combinado com o artigo 40, da Lei nº 11.343/06, e por associação para o tráfico, conforme artigo 35 da mesma lei.

A ação criminal tramita na Vara Única da Subseção Judiciária de Tabatinga. A acusada, que já esteve presa na Colômbia pelo envolvimento com as Farc, atualmente está presa na Unidade Prisional de Tabatinga (localizada a 1.108 quilômetros a oeste de Manaus).

FONTE: D24 am, 23 de junho 2012


Prefeito de São Paulo de Olivença investe quase R$ 1 milhão em produtos de limpeza

O prefeito de São Paulo de Olivença (a 988 quilômetros de distância de Manaus), Raimundo Nonato Souza Martins (PT), irá investir aproximadamente R$ 1 milhão na compra de produtos de limpeza para os próximos seis meses. 

Entre os itens comprados estão 1,5 mil baldes; 1,2 milhões de copos descartáveis; 3,5 mil panos de chão; 51,2 mil rolos de papel higiênico; 4,8 mil sacos de lixo e 2,9 mil vassouras. De acordo com o extrato da ata de registro de preços realizada pelo Executivo no último dia 29, a empresa responsável por fornecer todo o material de limpeza será a Nicson M Lima Transportes, que receberá R$ 978,5 mil pelos produtos. No extrato, o prefeito esclarece que o material é “para atender a órgãos e entidades do governo municipal até o término de 2012 ou até quando durar o estoque”. 

Dos 36 itens adquiridos pelo Executivo municipal, chamam a atenção os recursos destinados para compra de 1,2 milhões de copos descartáveis que custarão R$ 23,6 mil; 51,2 mil rolos de papel higiênico comprados em pacotes de 64 rolos, que custarão R$ 29,4 mil; além dos 1,5 mil baldes ao total de R$ 53,6 mil; 4,8 mil sacos de lixo ao valor de R$ 14,2 mil e as 2.920 vassouras destinadas ao uso dos 20 garis do município no total de R$ 30,7 mil. 

Limpeza

O prefeito comprou ainda 2,4 mil inseticidas, 400 pacotes de sabão em barra, 800 unidades de papel toalha, quatro mil caixas de sabão em pó, 600 rodos, 300 pacotes de palha de aço, 500 pás, 1,2 mil luvas, seis mil detergentes, 4,8 mil flanelas, seis mil esponjas e cinco mil caixas de aromatizantes. 

Desde a última sexta-feira, a reportagem vem tentando contato com o prefeito Raimundo Nonato Souza Martins pelo número 8177 xx40, sem retorno das ligações. 

O representante do município em Manaus, Marcos Martins, informou que o petista estava visitando comunidades atingidas pela cheia dos rios da região e não poderia responder aos questionamentos da reportagem. Ele não soube informar quais órgãos ou secretarias iriam receber os produtos adquiridos.

FONTE: EM TEMPO online, 19 de JUNHO 2012

Maioria dos prefeitos no Amazonas aptos à reeleição tem dívidas a pagar aos cofres públicos

Dos 49 prefeitos aptos à reeleição no Amazonas, 32 têm dívidas com os cofres públicos por causa de irregularidades em prestações de contas de gestão e podem ser barrados pela Lei da Ficha Limpa. Nos últimos quatro anos, segundo informações do Tribunal de Contas do Estado (TCE), nenhum dos prefeitos conseguiu sequer aprovar integralmente suas contas.
Desse total, 24 tiveram contas julgadas irregulares e outros oito conseguiram aprovações com ressalvas. Os demais ainda não tiveram seus processos julgados porque atrasaram a entrega de seus relatórios de contas.
O prefeito de Codajás, Agnaldo Paz Dantas (PMDB), foi quem recebeu uma das maiores condenações dos últimos quatro anos. Ele foi condenado a devolver R$ 17.590.057,25 aos cofres públicos, além de pagar uma multa de R$ 33.073,75. As punições foram referentes ao exercício financeiro de 2010, quando o TCE identificou irregularidades na utilização de recursos federais, além do não recolhimento do Imposto de Renda Recolhido na Fonte (IRPF) e das contribuições previdenciárias dos servidores municipais.
No ano anterior, Agnaldo Paz já havia sido condenado a devolver R$ 65.162,97 e a pagar uma multa de R$ 15.000,00.
Os prefeitos de Nhamundá, Mário Paulain (PMDB), e de Tabatinga, Saul Nunes (PR), também foram punidos pelo TCE com o pagamento de valores milionários. Os dois tiveram suas contas reprovadas pelo colegiado do TCE, no último dia 29 de março.
Mário José Paulaim assumiu a prefeitura em abril de 2010, depois da cassação do prefeito da cidade. Em seu primeiro ano de gestão, ele foi condenado a devolver R$ 11.575.789,66 para a prefeitura, além de pagamento de multa de R$ 41 mil .
Já Saul Nunes foi condenado a pagar R$ 34 mil em multas e reembolsar aos cofres públicos o valor de R$ 1.038.768,78, referentes ao exercício de 2010. Entre as irregularidades encontradas, segundo o relator, conselheiro Ari Moutinho, estavam problemas em processos licitatórios feitos por meio de carta convite e dispensa para a contratação de serviços.
Nas contas de Saul Nunes e Mário Paulain foram encontradas também divergências em processos licitatórios, atraso na entrega mensal da Auditoria de Contas Públicas (ACP), divergências de valores e por gastos não realizados em favor da administração pública. 
Na cidade de São Gabriel da Cachoeira, o prefeito Pedro Garcia (PT) também tem de  devolver uma alta quantia para a prefeitura da cidade. Ele foi condenado a ressarcir o município em R$ 1.099.326,57. Garcia recebeu, ainda, uma multa de R$ 16 mil. As contas reprovadas são do ano de 2009.
Os valores que devem ser devolvidos ao município são referentes à receita arrecadada e orçada do município, aos repasses à Câmara Municipal de São Gabriel da Cachoeira, além de despesas com passagens e hospedagem pagas sem comprovação legal.
Adenilson Lima Reis, prefeito de Nova Olinda do Norte, tem uma dívida pública de R$ 524.144,24 por problemas com bens imóveis e industriais, objetos de obras e a contratação de serviços de engenharia e aquisição de terrenos. Além de devolver dinheiro, o prefeito foi condenado a pagar multa de R$ 15.326,78 pelos problemas encontrados na prestação de contas.
Também foram condenados pelo TCE os prefeitos de Amaturá, Anamã, Atalaia do Norte, Autazes, Barcelos, Boa Vista do Ramos, Caapiranga, Carauari, Eirunepé, Envira, Fonte Boa, Guajará, Ipixuna, Japurá, Lábrea, Maraã, Novo Airão, Parintins, Santo Antônio do Içá, Santa Isabel do Rio Negro, São Paulo de Olivença, Tapauá e Urucará.
Estado tem R$ 12 milhões a receber em multas não pagas
O Estado do Amazonas tem para receber, aproximadamente, R$ 12 milhões em multas por parte de prefeituras do interior e órgãos estaduais que tiveram seus gestores condenados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Os valores são referentes a condenações de1980 a2011. As informações são do Ministério Público de Contas (MPC).
As multas que ainda não prescreveram e devoluções do período de 1980 até 2008 totalizam R$ 5.638.086,88. Só em 2009, as condenações que ainda não foram pagas chegaram a R$ 5.093.013,75, quase o valor total das condenações dos 28 anos anteriores. Em 2010 e 2011, os valores devidos são bem menores que nos anos anteriores e somam R$ 1.262.717,44. Entre as dívidas, chamam atenção alguns valores, como uma multa aplicada em 2009 no total de R$ 61,76, que ainda não foi paga. Por outro lado, no mesmo ano, o TCE determinou a devolução de R$ 4.716.897,22, que também não foi atendida.
FONTE: D24.com, 12 JUNHO DE 2012

Associação dos Municípios do Amazonas teme por fusão entre Trip e Azul

Empresa assegura que clientes do Amazonas não terão problemas.



Manaus - A fusão entre as companhias Azul Linhas Aéreas e a Trip anunciada ontem foi vista com preocupação pelo presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM), Jair Souto. “A Azul é uma empresa maior, não sabemos se ela tem mesmo a estratégia de continuar atendendo a região”. Outra questão levantada é a necessidade de melhoria da infraestrutura dos aeródromos do interior do Estado. “Se os aeródromos já estivessem a ponto de funcionamento, a iniciativa privada estaria operando, pois há grandes negócios com esse interesse”, disse Souto.

Em entrevista por telefone ao Portal D24AM, o diretor de Comunicação e Marca, da atual Azul Trip S.A, Gianfranco Beting assegurou que os horários e trajetos dos voos da Trip Linhas Aéreas operados no Amazonas não mudam, imediatamente, com a compra da companhia aérea pela Azul. A ampliação na oferta de itinerários e a racionalização dos serviços são as alterações previstas para os próximos meses. “Nada muda nas próximas semanas em todos os voos e horários. A intenção é combinar os serviços de operações das duas empresas nos próximos meses, racionalizando o serviço, de jeito nenhum haverá diminuição da oferta de voos na região”, disse.

Segundo o executivo, os eventuais ajustes dependem da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Não temos como precisar um prazo, se isso irá ocorrer ainda esse ano, porque isso é uma decisão das autoridades”, informou.

A Azul possui, hoje, voos diretos de Manaus para Campinas (SP), Porto Velho (RO) e Belém (PA). A Trip opera de Manaus para diversos municípios do interior do Amazonas como Humaitá, Parintins, Tefé, Coari, Lábrea, Tabatinga, São Paulo de Olivença, São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro, Barcelos, Fonte Boa e Eirunepé, além de cidades do Pará e as capitais do Acre, Rondônia e Minas Gerais.

FONTE: D24.com, 12 de JUNHO 2012

Investimento em educação no Amazonas está abaixo do estipulado por lei

Três municípios deixaram de investir 25% do arrecadado com IPTU e ICMS, como define a Constituição, e 21 não apresentaram dados
Levantamento feito por meio do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope) mostra que 52 municípios brasileiros deixaram de investir, pelo menos, 25% em educação, em 2010, como determina a Constituição Federal. Oito cidades estão localizadas na Região Norte e três delas no Estado do Amazonas.
Fonte Boa aplicou 20,35%; Careiro da Várzea, 22,17% e Codajás, 24,63%. Outras 21 prefeituras não apresentaram dados. No ano passado, foram 42 municípios brasileiros que não cumpriram as regras do Siope.
A Constituição Federal determina que Estados e municípios devem investir em educação, pelo menos, 25% de sua arrecadação com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
Quando o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) detecta que um município aplicou menos do que determina a Constituição, as informações são automaticamente enviadas ao Ministério Público Federal (MPF), que as encaminha a um promotor de Justiça do Estado. “O governo municipal ou estadual terá a chance de se defender e pode ser aberto um inquérito civil público”, explica o coordenador do Siope, Paulo Cesar Malheiros.
O Estado ou município que não aplicar a cota mínima na área educacional também deixa de receber os recursos do Governo Federal, por meio de convênios, as chamadas transferências voluntárias. O nome do município entra no Cadastro Único de Convênios (Cauc) e fica inadimplente.
Omissão de dados
As sanções administrativas não são apenas para quem descumprir a norma constitucional. Valem também para os Estados e municípios que deixam de informar os dados anuais ao sistema, administrado pelo FNDE, o que é considerado uma irregularidade. O prazo para entrega da declaração referente a 2011 terminou em abril deste ano para os municípios e, em maio, para os Estados.
Nesse item, a situação do Estado do Amazonas não é das melhores: 21 dos 62 municípios não entregaram o relatório ao Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação, em 2011. O caso mais grave é de Boa Vista do Ramos, que não apresenta a documentação de investimentos desde 2005. Em seguida, vem Jutaí, com atrasos nos últimos três anos. Em 2008, São Paulo de Olivença não apresentou o balanço ao Siope.
Na justificativa, o prefeito Raimundo Nonato Martins explicou ao FNDE que o ex-prefeito não prestou contas naquele ano e a atual administração levantou a receita e parte da despesa que constavam nos extratos para responsabilizar o antigo gestor. “Já existem denúncias para responsabilização do ex-prefeito”, declarou.
Avaliação
Para a presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Cleuza Repulho, as 52 cidades brasileiras que não investiram o mínimo constitucional nas suas redes de ensino representam um número pequeno, se considerado o total de prefeituras no País: 5.565. Mesmo assim, o prejuízo existe para os estudantes desses municípios.
“O percentual é pequeno, mas para as crianças desse município que investiu menos, significa muito. A nossa maior preocupação é que as crianças não podem dar a sorte ou o azar de nascer em um município onde o gestor se preocupa mais ou menos com educação”, disse.
Para Cleuza, o problema ocorre, em muitos casos, pela má gestão do dinheiro público. Isso porque a maioria dos secretários de Educação não é o gestor pleno dos recursos para a área, que acabam administrados pelas secretarias de Finanças ou Planejamento.
Erros técnicos
O presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM), Jair Souto, minimiza a situação das prefeituras do Estado que deixaram de aplicar os 25% em educação e não informaram os gastos ao Siope.
“Não há justificativa para que um município deixe de aplicar o que manda a lei, já que são tantos os gastos com educação. Devem ocorrer erros técnicos pelo não aparelhamento das prefeituras, deficiência na comunicação, como Internet e sistema bancário. Mas a nossa entidade está lutando para mudar esse quadro”, declarou.
De acordo com informações do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o não cumprimento do que estabelece a Constituição Federal sobre os investimentos em educação, que devem ser de, no mínimo, 25% do arrecadado com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) resulta na inclusão das prefeituras no registro do Cadastro Único de Convênios (Cauc), o que pode restringir o repasse de verbas. Essa situação, no entanto, pode ser jregularizada pelos gestores.

FONTE: JORNAL ACRÍTICA, 12 DE JUNHO 2012

Orçamento inviabiliza
Casas populares em São Paulo de Olivença para abrigar vítimas das terras-caídas.
Em São Paulo de Olivença (a 988 quilômetros de Manaus), cuja orla está condenada pela Defesa Civil há quase dois anos, novas alternativas estão sendo buscadas, mas esbarram no pequeno orçamento do município e do Estado. “Nós sabemos que temos que transferir mais de 300 famílias da orla para uma área mais segura, mas até agora não sabemos como vamos fazer isso. Nosso orçamento é pequeno e não encontramos resposta junto ao Governo do Estado. Até agora, tudo o que temos é a construção de 150 casas populares em um terreno que nós doamos, mas a demanda por essas casas é bem maior”, afirma o prefeito de São Paulo de Olivença, Raimundo Nonato Souza Martins (PSD).
De acordo com a secretária Estadual de Infraestrutura, Waldívia Alencar, a necessidade de transferir os moradores da orla de São Paulo de Olivença para uma área mais segura é conhecida há algum tempo, entretanto os cofres públicos do Estado ainda não estariam preparados para bancar uma empreitada desse porte. “Nossos recursos são limitados. Uma transferência desse nível implicaria em muito dinheiro. O que estamos fazendo é tentar obter recursos junto ao Governo Federal, mas ele tem demandas do Brasil inteiro. Fica difícil conseguir isso em curto prazo”, explica Waldívia Alencar.
FONTE: JORNAL A CRÍTICA - 09/06/2012



EDUCAÇÃO - UEA convoca 2,3 mil aprovados no vestibular para 2ª etapa de matrícula

Os 2.343 candidatos aprovados no vestibular 2011, com acesso em 2012, da UEA nos cursos de Medicina, Odontologia, Enfermagem, Saúde Coletiva, Gestão Pública e Agrimensura devem matricular-se entre 11 e 15 de junho, segundo informou o reitor da UEA, professor José Aldemir de Oliveira. Os cursos serão ministrados em 25 cidades do Amazonas, incluindo a capital, a partir de agosto.

O vestibular da UEA é dividido em duas etapas quanto à matrícula e início das aulas dos classificados no certame. A matrícula da primeira etapa ocorreu em fevereiro e o período letivo começou em março, quando 2,7 mil pessoas deram início a um dos 27 cursos superiores oferecidos pela universidade.

Os documentos necessários para matrícula estão listados no edital de matrícula, disponível abaixo para download. “A entrega dos documentos não significa que o candidato está de fato matriculado na universidade. Os documentos serão analisados e a partir do dia 19 de junho serão anunciados os nomes de quem teve a matrícula efetivada”, alertou o reitor.

São 1.325 pessoas aprovadas no curso de Gestão Pública, 714 em Saúde Coletiva, 144 em Agrimensura, 60 em Medicina, 50 em Odontologia e 50 em Enfermagem. Há três endereços em Manaus e 24 no interior do Estado, sendo um por cidade, que estarão recebendo os documentos da matrícula no horário de 8h às 12h e 14h às 18h. “Cada curso tem local próprio para entrega dos documentos. É importante que o futuro aluno leia o edital de matrícula antes de sair de casa”, explicou Oliveira.

Gestão Pública teve o maior número de inscritos em um único curso, no último vestibular: 5.942 candidatos. Junto com Saúde Coletiva e Agrimensura, Gestão Pública integra os três novos cursos oferecidos pela universidade para início em 2012. Entretanto, a graduação mais concorrida do último vestibular foi Direito, com 5.842 pessoas disputando 90 vagas, resultando em concorrência de 65 pessoas por vaga.


Repasse de verba federal às vítimas da cheia no AM é discutido em Manaus

Um dos critérios iniciais, para a distribuição dos R$ 10 milhões repassados pelo Ministério da Integração foi o número de famílias afetadas 


Os critérios de distribuição dos R$ 10 milhões disponibilizados pelo Ministério da Integração, para atender as vítimas da cheia no Amazonas, é a principal pauta a ser discutida na manhã desta segunda-feira (21), em Manaus, pelos prefeitos dos municípios afetados.     

As discussões serão coordenadas pelo presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM) e prefeito de Manaquiri, Jair Souto (PMDB).

Um dos critérios iniciais, propostos para a distribuição da verba federal seria pelo número de famílias atingidas pela cheia. Entretanto, em virtude de discordâncias entre prefeitos, tal opção ficou em segundo plano.

Os municípios de Anamã, Careiro da Várzea e São Paulo de Olivença, são as três cidades que se encontram mais afetadas pela cheia histórica de 2012. 

A partir das propostas analisadas e aprovadas na reunião desta segunda, o dinheiro deverá ser repassado.

A reunião ocorre na sede da AAM, no bairro Nossa Senhora das Graças, na Zona Centro-Sul de Manaus, onde ao menos 19 prefeitos participam do encontro.

Ex-prefeito de São Paulo de Olivença perde direitos políticos por quatro anos

A sentença é resultado de uma ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2008

ANA CAROLINA BARBOSA

Ex-prefeito se São Paulo de Olivença perde direitos políticos por 4 anos (Euzivaldo Queiroz)


O ex-prefeito de São Paulo de Olivença (a 982 quilômetros de Manaus), Hamilton Lima do Carmo Fermin (PSDB), teve os direitos políticos suspensos por quatro anos a partir de sentença proferida pelo juiz federal Roberto Luis Luchi Demo em resposta a uma ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), em 2008. Fermin foi prefeito do município entre 2000 e 2004.

O MPF pede na ação a condenação do ex-prefeito sob a alegação de que o mesmo deixou de prestar contas “quando esteve obrigado a fazê-lo” – atitude que gerou condenação do mesmo por parte da Corte do Tribunal de Contas da União (TCU) - e pede, com base na lei Lei 8.429/92, artigo 12, inciso III, o “ressarcimento integral do dano, se houver, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos”.

A Justiça Federal julgou parcialmente procedente o pedido do MPF, proibindo o ex-prefeito de “contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa

O acritica.com não localizou o ano em que ocorreu a “omissão na prestação de contas” mencionada no processo contido no site do Tribunal Regional Federal (www.trf1.jus.br).

Contudo, segundo do portal do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) na internet, as contas do ex-prefeito referentes ao exercício de 2004 foram consideradas irregulares pela Corte. As contas relativas a 2001 foram aprovadas com ressalvas e as que fazem referência aos anos de 2002 e 2003 receberam parecer prévio pela desaprovação. Hamilton Lima não foi localizado para comentar o assunto.



Algumas Imangens de São Paulo de Olivença 







ALUNOS DA E.E.N.S da ASSUNÇÃO EM AULA PASSEIO ENTREVISTANDO AS FAMILIAS VITIMAS DA ENCHENTE E SENTINDO NA PELE A REALIDADE


 CHAPEU DE PALHA NOVA ESTAÇÃO




 PONTE QUE LIGA SÃO JOÃO AO BAIRRO NOVO




 RUA DA MANCHETE AGORA




RUA LUIS BALIEIRO VIA BONFIM




São Paulo de Olivença, 04 de maio de 2012


Programa Minha Casa, Minha Vida destina mais de duas mil casas ao interior do Amazonas






A nova fase do Programa Minha Casa, Minha Vida vai beneficiar 2.582 municípios de até 50 mil habitantes e contará com investimento de R$ 2,8 bilhões para a construção de 107.348 unidades. Do total de municípios selecionados, 1.663 serão contemplados pela primeira vez pelo programa habitacional, para famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00. No Amazonas, 50 municípios receberão os benefícios do programa federal. A expectaviva é que sejam construídas 2.170 unidades habitacionais no Estado.

O nível de pobreza das cidades brasileiras foi o critério que orientou a escolha das cidades. A finalidade é fazer com que o programa alcance o objetivo de dar condições para as famílias de baixa renda de terem acesso à moradia digna. Para a construção das moradias, o governo federal vai conceder subsídio de R$ 25 mil por unidade construída.

Para a seleção, os municípios apresentaram ao governo federal duas propostas para construção de até 50 unidades habitacionais em cada uma. Os estados também puderam cadastrar projetos nos municípios. Nos projetos, estados e municípios apresentaram contrapartidas que facilitam a execução do empreendimento, como a oferta de terrenos.

No programa Minha Casa, Minha Vida 1, foram contratadas mais de 60 mil unidades habitacionais em quase dois mil municípios com até 50 mil habitantes. A meta para essa nova etapa é contratar mais 220 mil moradias até 2014.

Veja a lista dos municípios que receberão as casas do programa “Minha Casa, Minha Vida 2″:

UF
              MUNICÍPIO
UNIDADES   HABITACIONAIS
AM
                  Alvarães
                40
AM
                Amaturá
                40
AM
                   Anamã
                40
AM
                     Anori
                40
AM  
                    Apuí
                40
AM 
            Atalaia do Norte
                40
AM
                   Autazes
                50
AM
                  Barcelos
                50
AM
                Barreirinha
                50
AM
           Benjamin Constant
                50
AM
                    Beruri
                40
AM
          Boa Vista do Ramos
                40
AM
                Boca do Acre
                50
AM
                     Borba
                50
AM 
                  Caapiranga
                40
AM
                  Canutama
                40
AM
                   Carauari
                50
AM
                    Careiro
                50
AM
                    Codajás
                50
AM
                   Eirunepé
                50
AM
                     Envira
                40
AM
                  Fonte Boa
                50
AM
                 Guajará
                40
AM
                Humaitá
                50
AM
                 Ipixuna
                50
AM
               Itamarati
                40
AM
               Itapiranga
                40
AM  
                 Japurá
                40
AM  
                    Juruá
                40
AM
                     Jutaí
                40
AM
                Lábrea
                50
AM 
              Manaquiri
                50
AM
               Manicoré
                50
AM
                  Maraã
                40
AM
               Nhamundá
                40
AM
         Nova Olinda do Norte
                50
AM
              Novo Aripuanã
                50
AM  
                    Pauini
                40
AM
  Santa Isabel do Rio Negro
                40
AM
Santo Antônio do Içá
                50
AM  
São Gabriel da Cachoeira
                50
AM
     São Paulo de Olivença
                50
AM
   São Sebastião do Uatumã
                   40
AM 
                         Silves
                40
AM  
                      Tapauá
                40
AM
                    Tonantins
                40
AM
                        Uarini
                40
AM  
                      Urucará
                40
AM  
                   Urucurituba
                40
  
AMAZONAS
            2.170
REGIÃO NORTE
           13.650
BRASIL
         107.348



São Paulo de Olivença, 01 de Maio 2012


Já Foram entregues Cerca de 105 Geladeira do programa de “Eficiência Energética” em São Paulo de Olivença, e 20 na comunidade de Santa Rita do Well 

clientes obtendo informações e orientações relacionadas ao uso consciente de energia elétrica pelo Líder de Gestão Local 

JANNE RODRIGUES DA SILVA


    



O Programa de Eficiência Energética da Eletrobras Amazonas Energia objetiva demonstrar à sociedade a importância e a viabilidade econômica de ações de combate ao desperdício de energia elétrica e de melhoria da eficência energética de equipamentos, processos e uso da energia. Além de atender o que dispõe a Lei nº 9.991, de 24 de junho de 2000 da ANEEL. A Eletrobras Amazonsas Energia já iniciou o processo para compra de mais 6500 geladeiras para atender as mais de 100 agências, com previsão de início da nova etapa do projeto para o 2º semeste/2012.

São Paulo de Olivença, 30 de Abril de 2012

Inaugurada Feira do Produto em Santa Rita do Well - São Paulo de Olivença 


Aconteceu no último dia 03, sábado, a inauguração da Feira da Agricultura Familiar na comunidade de Santa Rita do Well,localizada as margens do rio Solimões. O espaço vai atender uma média de 10 mil pessoas entre indígenas das comunidades próximas (paranapara, campo alegre, parauassé, nova vila , novo paraíso) e não indígenas.   com a participação do Prefeito e Vice Prefeito  e demais autoridades de São Paulo de Olivença. A construção da feira foi a forma encontrada para facilitar a comercialização dos produtos oriundos da agricultura familiar e proporcionar geração de renda para os agricultores locais.


               A inauguração contou com a presença de diversas autoridades, entre elas, o prefeito, Raimundo Nonato de Souza Martins, que disse na ocasião que a geração de renda para os agricultores tem sido uma das grandes preocupações do governo municipal. “Mas, graças a parceria com o Idam estamos conseguindo desenvolver o meio rural", ressaltou.

            Segundo o cacique Indígena Tikuna de Paranapara, Gilberto Bilitão, a feira é um marco de desenvolvimento, que funcionará todos os sábados para atender os consumidores locais. Conforme ele, agora os agricultores não terão mais necessidade de se deslocar para lugares distantes para vender a produção.

O gerente da Unidade Local Sérgio Froes, garantiu que ainda neste mês de março será implantado o Programa de Aquisição de Alimentos para doação Simultânea - A.A/CONAB o qual envolvera diretamente 40 produtores rurais. 





Famílias afetadas pela cheia no Amazonas aindanão receberam ajuda do governo

Prejudicada pela subida da água dos rios há quase dois meses, população ainda aguarda recursos serem liberados

Cerca de 30% do território de Anamã, no Solimões, está embaixo d’água; Em 2009, quase 100% da sede da cidade foi afetada (Bruno Kelly - 15/ mar /2012 )

MARIA DERZI

            Os prejuízos causados pela cheia que atinge o Amazonas já duram quase dois meses e a população, principalmente do interior, ainda não recebeu a ajuda de R$ 8 milhões, anunciada pelo Governo Federal no final de março.
          De acordo com a Secretaria de Ações de Defesa Civil do Amazonas (Subcomadec), os recursos já estão à disposição do Estado e dependem da operacionalização do próprio Governo para serem liberados.
        Até o momento, 11.178 famílias da calha do rio Juruá e de parte do Purus foram cadastradas. Ainda faltam 18.738. No início do período de cheia, a Defesa Civil identificou 27.599 famílias afetadas, agora já são 29.916 prejudicadas.
        A previsão dada pela Subcomadec é de que até a semana que vem as famílias já identificadas como prejudicadas pela cheia, comecem a receber o valor de R$ 400, por meio do cartão “Amazonas Solidário”.
           O benefício foi concedido pelos Governos Estadual e Federal. Enquanto isso, a Defesa Civil do Estado informou que dará continuidade ao cadastramento das famílias atingidas nas demais regiões do Amazonas, o que constitui a segunda fase do socorro emergencial.
            As famílias mais atingidas serão beneficiadas com R$ 8 milhões, inseridos no total de R$ 82 milhões em recursos do Governo Federal e Estadual para atendimento a essa problemática no Amazonas.
         Além do Cartão Amazonas Solidário, os investimentos serão divididos no projeto de recuperação de encostas em municípios mais atingidos pelas cheias dos rios; e R$ 44 milhões, para o programa “Água para Todos”, de acesso à água potável, sendo R$ 40 milhões com recursos federais e R$ 4 milhões de contrapartida estadual.
         A demora na liberação da primeira remessa dos recursos, segundo a Defesa Civil do Estado, foi por conta da confecção dos cartões, chegada dos mesmos no Estado e envio das remessas ao interior para serem entregues para aos beneficiados.
Mais atingidos
Neste final de semana, mais seis cidades do interior do Estado entraram na lista de municípios em situação de emergência em virtude da cheia sendo, no médio Solimões, os Municípios de Careiro da Várzea  e Caapiranga; Uricurituba, no médio Amazonas; Nova Olinda do Norte, no Madeira; Itacoatiara, no médio Amazonas e Tapauá, na calha do Purus, totalizando 25 municípios atingidos.
Mais cidades prejudicadas
              De acordo com o comandante da Defesa Civil, coronel Roberto Rocha, a previsão é de que, no total, 31 cidades decretem situação de emergência no Amazonas por conta das cheias. Até o momento, as 25 cidades atingidas representam o quantitativo de 29.916 famílias atingidas.
             Os municípios de Envira, Eirunepé, Guajará, Ipixuna, carauari, Itamarati e Juruá, na calha do Juruá; e Boca do Acre, Lábrea, Pauini, Canutama, na calha do Purus, já estão recebendo atendimento humanitário. Já os Municípios de Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Tonantins, Santo Antonio do Içá, Amaturá, na calha do Solimões; e, Borba, na calha do rio Madeira, ainda vão receber ajuda humanitária.
             “As inundações maiores ocorrem, atualmente, em Atalaia do Norte, Tabatinga, e São Paulo de Olivença. Enviamos mais de 1.500 cestas básicas e kits de higiene. Nessa região que estamos atendendo, no Alto Solimões, há 4.200 famílias atingidas”, disse Rocha.
Previsão
        Ainda nesta semana, o nível do Rio Negro, em Manaus, pode atingir a marca emergencial de  28,90 m. Ontem, chegou 28,49 m. Nos dois meses restantes de cheia, a subida dos rios pode  se intensificar, também no interior,  com chuvas ocorridas nas bacias da Amazônia e o curso d’água do Peru, elevando os níveis do Solimões, no Brasil.              
              Em 2009, ano em que o Amazonas registrou a maior enchente desde 1953,  um total de 58 municípios do Amazonas foram atingidos. Cerca de 335 mil habitantes, principalmente das calhas dos rios Solimões  e Juruá, que em 2012, apresentam os  maiores índices, foram prejudicadas pela subida dos rios. Desse total, 59,5 mil tiveram que sair de suas casas. Em 2012, essa mesma história poderá se repetir. Isso porque quase 11 municípios estão próximos de chegar à marca atingida em 2009.
Informações: JORNAL Acrítica


Prefeitura de São Paulo de Olivença promove oficina de cinema


Um projeto da prefeitura municipal de São Paulo de Olivença, através do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) culminou com a primeira mostra de cinema paulivense. O evento reuniu filmes com duração de 1 e 4 minutos e foram produzidos por crianças , adolescentes e jovens que participaram das oficina de cinema ofertadas pelo CRAS do município.
           Os filmes foram exibidos em várias escolas da sede do município e na comunidade rural de Santa do Well. A cada exibição, os alunos recebiam um cédula para votar indicando o melhor filme, melhor ator e melhor atriz. “A iniciativa da produção destes filmes objetivas interiorizar a produção de filmes e a descoberta de talentos, dando oportunidade aos jovens e adolescentes para que não fique restrito somente à capital, além de ser uma forma de envolver as crianças, jovens e adolescentes em atividades que possam desenvolver seu potencial artístico, bem como uma opção de incluí-los em atividades produtivas e prazerosa”, explicou a equipe do CRAS. Os filmes retratam a cultura local, expressas no modo de viver, falar, comer e de interpretar o mundo. “Fazer com que as pessoas retratem sua cultura e se sintam orgulhosos de como são”, declarou Júnior Rodrigues, cineasta que coordenou o evento. “Os participantes da oficina saem do papel de meros expectadores para atuar como produtor, ator e diretor de obras, antes só vistas pela televisão”, destacou Rodrigues.
           A metodologia aplicada é a metodologia motivadora. Os participantes provam que são capazes de produzir suas próprias ideias com a orientação do cineasta, que ministra a oficina. Os alunos, dirigem, atuam e filmam.
           No encerramento, o diretor do melhor filme de 1 e 4 minutos, o melhor ator e a melhor atriz receberam trofeus e premiação em dinheiro, entregues pelo prefeito Raimundo Nonato Martins e pela secretário de Ação Social Nicéia de Souza Rocha, considerada como a grande incentivadora do projeto.
         “A premiação é uma forma de incentivar a criação de novos roteiros e o surgimento de um número ainda maior de filmes concorrendo nas próximas edições do evento”.

Casal é preso em São Paulo de Olivença  Por Trafico de Drogas.



Uma equipe de policiais formada pelos soldados Barroso, Rildo e James, sob o comando do chefe de polícia de São Paulo de Olivença, Carlos Alberto Silva, do 48º Distrito Policial, prendeu em flagrante delito Alciney Moraes Arcanjo, 27 anos, e Cristiana Rabelo da Silva, 31, após diversas denúncias de que eles eram os principais traficantes naquele município.A prisão ocorreu no último dia 20, por volta das 13h30, na residência do casal, no bairro de São João, mais precisamente no lugar chamado Buracão, conhecido ponto de venda e consumo de drogas.Com eles foram apreendidos cerca de 400 gramas de droga (do tipo óxi), a quantia de R$ 800,00, 245 carteiras de cigarro colombiano da marca Montero Club e 200 litros de gasolina de origem desconhecida, além de celulares, dentre outros pertecentes. Os dois já haviam sido presos em 2010 e estava respondendo ao processo em liberdade.






         Realmente é lamentável a questão do nosso HOSPITAL SANTA ISABEL. Ontem uma paciente necessitou de atendimento, pois estava sangrando muito pelas vias nasais. Primeira falha não tinha ambulância, depois ao chegar no mesmo não havia sequer um vigia para ajuda-la a tirar da moto.
         O médico de “PLANTÃO “passou, mas de meia hora para atendê-la”“.  Já que estava em sua casa, Já em observação segundo os parentes não havia sabão para lava-la, o banheiro sem luz, para a cama ou maca não havia lençol... Hoje à tarde dei uma passada por lá.
        Muitos internos falaram que o atendimento por parte da enfermagem é bom. Mas segundo eles faltam medicamentos. Inclusive bolsas de sangue. Com permissão dos mesmos tirei duas fotos somente para mostrar as camas. Muito triste.





Jambo Verde – A Melhor Informação do Alto Solimões, em parceria com outros meios de Comunicação da Fronteira.Estão realizando uma Campanha,covocando seus leitores para que ajudem as centenas de familias nas cidades de Atalaia do Norte,BC e Tabatinga.Onde,estão sofrendo com o avanço da grande cheia dos rio Javari e Solimões.Nesta Campanha, estão conosco os parceiros, que divulgam o a nossa região para o mundo.Portanto,pedimos a você que tem em sua casa Roupas, Alimentos, Calçados, Madeiras e local para alojamento. Você poderá também fazer parte desta Campanha divulgando no Facebook, Orkut, nos blogs,nas radios e na TV.Para doações, você poderá procurar a Defesa Civil, ou as Igrejas de sua cidade. Ajudar é um ato de humanidade!



SENAI / AM oferece 8 mil vagas gratuitas pelo Pronatec

Estudantes que estão cursando o 2º e 3º anos do Ensino Médio em Escolas Estaduais do Amazonas têm a oportunidade de fazer cursos profissionalizantes gratuitos no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/AM).As vagas fazem parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), iniciativa do Governo Federal que visa expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) para a população brasileira. Em 2012, a instituição que é referência em educação profissional vai oferecer oito mil vagas gratuitas em Manaus, distribuídas em 40 cursos. Segundo o diretor regional do SENAI/AM, Aldemurpe Barros, “o aluno que faz um curso profissionalizante no SENAI amplia as oportunidades de emprego e é reconhecido pelo mercado como um bom profissional, além de ganhar salários acima da média já que são profissionais habilitados em funções específicas que o mercado precisa”, disse o diretor. Para garantir a vaga, o estudante deve procurar a secretaria de sua escola e efetuar uma pré-matrícula para o curso escolhido. A relação dos cursos disponíveis pode ser acessada no site www.vocenaindustria.com.brAs aulas serão ministradas ao longo do ano nas quatro escolas do SENAI em Manaus (três no Distrito Industrial e uma na Cachoeirinha) e também nas quatro agências do SENAI nos municípios de Parintins, Iranduba, Coari e Itacoatiara. Segundo Barros, o Programa ainda disponibilizará uma assistência estudantil para auxiliar o aluno no transporte até a escola. “Além dessa assistência, o aluno ainda encontrará no SENAI laboratórios bem equipados e professores habilitados para garantir uma formação de qualidade”, afirmou. Dentre as 40 opções de cursos gratuitos estão os cursos de Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Operações em Logística, Operador de Computador, Desenhista Mecânico, Mecânico de Manutenção de Máquinas Industriais, Operador de Linha de Montagem de Equipamentos Eletrônicos, Mecânico de Usinagem, Modelista, Agente de Inspeção da Qualidade, entre diversos outros. Informações: www.vocenaindustria.com.br/ (92) 3182-9975 e 3182-9976/9977



Nenhum comentário:

Postar um comentário